Wednesday, November 23, 2005

De mãos estendidas


Basta um simples gesto como este... pelo simples facto de vivermos esta vida de mãos estendidas podemos mudar a vida de muita gente, seja muita ou pouca o facto é que podemos tocar outras vidas e isso so por si vale tudo, mudar para me sentir superior, como um messias? Não, mudar pq creio que isso é a unica coisa com utilidade e validade que podemos fazer enquanto estamos vivos, de que serve então a vida se vivermos só para nós?? Para xegar-mos ao fim murmurando "nasci, cresci, vivi rodeado/a de conhecidos e um ou outro amigo, e quando morrer ninguem mais se lembrará de mim, pois n deixei marcas neste mundo" Vivemos numa passividade incrivel, e dirijo-me em particular aos jovens com idades entre os 16 e os 30, é a xamada "idade da parvoice" para os homens: "gajas, discos, bola, bebida, gajas, para elas: "gajos, discos, cusquice" e pronto assim vivemos felizes, tão bom que é ser-se insignificante e parvo-alegre, mais umas moscas no meio da merda!! Não!!!!!! ñ quero isso para mim, mas vejo com tristeza que este é o caminho mais seguido incluindo por amigos e colegas meus....azar o deles, eu tento sempre mostar ás pessoas como é importante preocuparmo-nos com aquilo que se passa á nossa volta, e se puderem como a sua ajuda e empenho é importante, eu nao consigo conceber para mim outro modo de vida que nao seja atravez do empenho em causas sociais e ou civicas, é isso que me define, é isso que me dá vida, ser activo nesta vida, nao um espectador; compreendo que nem toda a gente tem disponibilidade para desenvolver actividades "estra curriculares", xamemos-lhes assim, mas aqueles que tem, aqueles que passam horas em msn, e cenas do genero, aqueles "computer geeks", aqueles bebados e bebadas semi (ok totalmente) aparvalhados/as esses que nao fazem nada desta vida, mexam essas rabos gordos e cerebros liquefeitos!! E como tudo nesta vida, n se esqueçam de incluir um valioso amigo, o coração, pois só vendo atravez dele podemos estar conscientes do valor e da importancia que é vivermos uma vida de mãos estendidas...

6 Comments:

Blogger Organic Matter said...

De facto, muitos, e falo então principalmente da faixa etária a que te dirigiste, dizemos que queremos fazer mais, que queremos que as pessoas se lembrem de nos pelas coisas boas que nos definiram.
O problema é que muitos desses muitos, apenas o querem fazer apenas por protagonismo, e portanto acabam por faze-lo mal. Outros dizem que querem fazer e não passam disso. Infelizmente a hipócrisia está instalada.É claro que muita gente não pode, não tem tempo, e por isso a esses, que mesmo sem tempo fazem o possível, quero expressar a minha admiração, fazem deste mundo um lugar melhor.
O post fez me pensar e por isso agradeço~te a ti também.

1:24 AM  
Blogger Cruzeiro said...

É mesmo a idade da parvoice, hoje mais do que nunca, e na sua grande maioria não dão valor a nada nem a ninguém.
Cada vez mais as pessoas por puro egoismo, ou por um pensamento do tipo "que canseira" vivem em função delas proprias sem olhar para o lado e sem fazer nada para beneficio de ninguém, e o mais grave é que por norma são os que mais têm, seja em condições monetárias seja tempo disponivel, os que menos partilham, os que menos fazem em função dos outros...
É a sociedade em que lamentavelmente nos transforma-mos...

11:22 PM  
Blogger Tia Concha said...

Revejo-me totalmente nas vossas palavras...

Ando revoltada muitas vezes pela nossa passividade, porque por mais que tente remar contra a corrente, por vezes sou posta de lado e acusada de rebelde...

Apesar de me sentir deslocada, vejo que não estou sozinha na minha angústia.

Será que a história não nos ensinou nada com o 25 de Abril.

òósculos

ps- Muito bom o teu post.
Vais longe...

11:49 PM  
Blogger Galo Rouco said...

Mas às vezes é tão dificil ter forças para andar sempre com as mãos estendidas...

6:06 PM  
Blogger UnaRagazza said...

Para mim, dar é mais gratificante do que receber. O acto de se dar ou ajudar faz-nos sentir seres humanos melhores. Mas penso que o importante na ajuda é tentar ajudar os outros a ajudarem-se a si próprios. Porque, tenho conhecimento de muita gente que praí anda que para além de não ficarem gratos pela ajuda que se lhes presta ainda por cima, se tornam dependentes dela, como se fosse uma obrigação por parte dos outros. O essencial na ajuda, não é dar o peixe, mas sim, ensinar a pescar. Só assim essa ajuda será válida e terá um efeito a longo termo.
Óbvio que tb há outras pessoas e outras causas que necessitam de um apoio, de um gesto imediato. Mas o que quero dizer, é que apenas o imediato não chega.

8:40 PM  
Blogger Voice_Of_The_Opressed said...

Tens toda a razão ragazza, mas o que eu pretendia dizer com este post eq é necessario que passemos à acção, independetemente de darmos o peixe ou a cana de pesca, e para isso temos de saber oq é a "compaixao"

11:37 AM  

Post a Comment

<< Home