Wednesday, December 07, 2005

Cursos e empregos (ñ confundir com "trabalho")

Este é um post que já estava para escrever desde o inicio do blog, mas nunca tive inspirado até hoje para o fazer, e que toca numa tematica particularmente importante para mim. já que sou estudante e espero eu, futuro empregado.
Ora bem, ja tamos fartos de ser inundados com noticias àcerca da baixa, para não dizer nula empregabilidade de prá ai 90% dos cursos de ensino superior existentes em Portugal (psicologia esta no 3 lugar dos cursos com maior taixa de DESEMPREGO, go psychology!!!) historia e letras nos 1 e 2 lugar, mas isso ja era de se esperar; fiquei no entanto surpreendido por verificar que Direito, turismo e outras ciencias humanas( como a minha desejada Politica Social) se encontram, embora num patamar não muito favoravel, mas mesmo assim ultrapassando de longe os tres primeiros, penso que Direito estava em 7 e PS (politica social) no 9 ou 10 lugar, não tá mau não senhor, visto serem cursos de uma àrea que se diz saturada à muito tempo.
Como era de esperar as engenharias e a saude dominam o panorama, mas atenção que não são todas as eng.( civil, electrotecnica, mecanica e informatica) ta safo, as outras, bem podem juntar-se ao "saco" do desemprego, e agora uma questão, para quê tirar um curso universitario?? Se à coisa que detesto é virem com coisas do genero: "para crescimento pessoal, porque é o meu sonho, ou pq gosto de aprender" Meu Deus!!!!!! Vamos por partes, acho que estes três factores tem a sua importancia concerteza, uma pessoas tem de se identificar com aquilo que faz e isso deve proporcionar-lhe prazer, e é sem duvida um meio para crescermos enquanto individuos, AGORA tirar um curso SOMENTE com esses objectivos à vista, desculpem lá mas é a coisa mais estupida e imatura que se pode fazer; se eu quiser ficar informado sobre certa tematica, imaginemos, literatura , vou tirar um curso superior em linguas!! vou à bilbioteca, leio o maximo de livros que possa/consiga sobre o tema, vejo docs, assisto a uma outra conferencia, etc e já esta, a unica diferença é que não tenho o canudo, que diga-se de passagem hoje pouca utilidade tem, é a experiencia e o desenrrascanso que contam podem acreditar, longe vão os temspos onde uma media acima de 13 era = a trabalho hoje a media conta naturalmente mas muito menos e ainda bem pq nem sempre ela nos mostra quem são os mais aptos para determinadas tarefas. Eu tiro um curso superior, pq preciso de ter determinados conhecimentos para exercer a profissão que desejo, nao por "gostar de aprender" e duvido muito que em PS esse gosto vá ser total, nunca o é, mas mais importante que gostar daquilo que se aprende numa dada altura, é gostar daquilo que se vai fazer com o que se aprendeu...a mim pessoalmente diziam q iria ser ou politico, ou advogado ou psicologo, bem psicologo já vi que não quero ser(so espero mudar de curso uma vez e como tal serei um dos outros dois) mas creio mesmo que é a politica que escolherei, esta-me no sangue oq querem, temos de descobrir qual é a nossa vocação ou vocações e apartir dai darmos o nosso melhor pq mesmo que sejam vocaçoes que à partida parece que a sociedade nao dá muito valor, se nos esforçarmos por desenvolvê-las ao maximo, teremos seguramente um lugar de destaque neste mundo onde todos nos dizem o que fazer, como e quando o fazer, pessoalmente dou valor a um futuro emprego que me ofereça desafios constantes mas segurança financeira( um ordenado entre os 1500 e os 2000 euros) e que acima de tudo me permita ser eu mesmo e onde possa desenvolver ao maximo as minhas vocações naturais, claro que pra começar basta apenas um emprego seja la qual for :P O mesmo se aplica a voçes, fazerem o que querem e aproveitarem aquilo que de melhor sabem fazer, pois nisso nos somos sempre todos por igual, os melhores!!

14 Comments:

Blogger Galo Rouco said...

Uma coisa te digo, é necessário vocação, inspiração, devoção, empenho e muita sorte para se conseguir aquilo que desejamos.
De facto já não chega só ser-se bom par se ser alguem. O que é muito mau para a sociedade em que estamos.

12:01 PM  
Blogger Solitario said...

Eu "acho" que se pode ser bom em algo q se faz apenas com dedicaçao, mas isso só não nos tras satisfação em termos profissional, é preciso fazer-se o q se gosta.

Mas hoje em dia o "mercado" é que decide a "vocação" de muita gente. Infelizmente vão atras de algo que pague bem, ou que tenha saida profissional...

Espero não ficar no molhe de pessoas formadas para o desemprego, apesar de se pensar que a area da informatica é emprego/trabalho garantido, não é tão facil.

1:08 AM  
Blogger Cruzeiro said...

Infelizmente a vocação ou o prazer, na grande maioria das vezes não é possivel, temos que sobreviver e isso faz com que as pessoas acabem por optar por um qualquer emprego que lhes apareça, não por prazer ou vocação mas porque tem que ser...

12:32 PM  
Anonymous Migas-o-Sapo (Góis Brother 1) said...

Concordo com todos vós e acrescento ainda que eu sou um daqueles idiotas que está a tirar um curso que desde que existe aqui ainda só deu saída profissional a dois moços e foi por cunha. Mais: eu estou a tirar o curso mais por capricho dos meus pais, que são pobres remediados mas que acreditam que ter um curso ainda é meio caminho para um emprego, e porque eu fiz acreditar a mim próprio que seria mais produtivo obter um canudo e tê-lo como garantia futura do que ficar uma temporada a vadiar, isto é, que seria o melhor para mim. No fundo, eu acho que o que o futuro reserva a muita gente com cursos superiores é o desemprego ou o trabalho precário em áreas que nada têm a ver com aquelas que tiraram. Por essa razão, eu arranjei um trabalho para os meus tempos livres, à semelhança do que muitos fazem, e poupo o que posso, que os dias que aí vêm não prometem farturas. Eu acho que vou é ver é se me dedico à Agricultura... Já agora, concordo com a distinção que fizeste entre emprego e trabalho. É que emprego há pouco mas trabalho há muito para fazer e o que as pessoas querem ter não é trabalho, é emprego.

3:26 PM  
Blogger Voice_Of_The_Opressed said...

Hoje em dia penso que nem se coloca a questao da satisfaçao profissional já que ela é practicamente existente, mas alguma coisa temos de ter no trabalho que puxe por nós, quanto mais n seja o rendimento ou o facto de sermos bons naquilo que fazemos!! Eu tamb estou num curso de merda e vou mudar para um menos merdoso, mas ao menos sei que vou gostar e dám mais garantias de vir a fazer aquilo que gosto, se é que trabalhar n caixa do modelo é bom...

4:19 PM  
Anonymous Migas-o-Sapo (Gois Brother 1) said...

Se calhar, o que quiseste dizer é que a questão da satisfação profissional não se coloca porque é praticamente inexistente. Eu até gosto do meu curso pois acho nele um certo interesse mas reconheço que, enquanto curso superior, ele é uma treta e não dá garantias a quem quer que seja. Assim, embora eu até goste razoavelmente dele, se me dissessem que eu podia desistir e ir para um emprego que me desse garantias, eu nem hesitava: saía daqui agora mesmo e nunca mais cá punha os pés. É sempre preferível ganhar algum tostão do que gastar uma fortuna em algo que nos será inútil. Trabalhar na caixa do Modelo ou de qualquer que seja a superfície é uma miséria mas se não houver outra opção... "em tribunal de raposas não se absolvem galinhas".

5:08 PM  
Blogger Cruzeiro said...

Quantas vezes tens jovens formados a trabalhar em cx de supermercado, atrás de balcões, etc, porque não encontraram nenhum emprego para o qual têm formação?...

4:42 PM  
Blogger Tia Concha said...

A desparecida em combate voltou...

Costumam-me dizer que "quando se faz algo por gosto o dinheiro vem por acréscimo".

No meu caso gosto do que faço, mas neste momento,já não sei...

Mas uma coisa vos digo, até para caixas do Modelo há currículos invejáveis.

Muitas vezes com o canudo na mão dizem-nos : -" tem qualificações a mais para o que pretende-mos" ! e isto porque legalmente com o curso superior temos de receber um x a mais do que o ordenado mínimo.

O que na prática é pura utopia!

Mas agora tudo quer ser doutor, procura-se um carpinteiro não há, procura-se um picheleiro não há.

Acabaram-se com os cursos profissionais, nas famosas "escolas indústriais" para agora andarem a parir " doutores".

Neste momento somos avaliados pelo o que temos e não pelo que valemos!

ps- já tinha saudades disto*

11:55 PM  
Anonymous Migas-o-Sapo (Góis Brother 1) said...

Eu nunca quis ser doutor nem o que quer que fosse, apenas estou na Universidade porque quiseram que eu viesse e eu, vendo o estado de coisas aqui em termos de emprego, achei que seria melhor vir e tirar um curso como salvaguarda de garantia futura. De resto, eu até gostaria de ser, olha, por exemplo, carpinteiro só que a minha "saúde" não o permite. Adoraria ser agricultor e pastor, era mesmo o que eu mais gostava, e eu nisso tenho experiência porque os meus pais cultivam terras e os meus antepassados até eles foram todos lavradores. Quando eu era pequeno eu cuidava de ovelhas. Se eu podesse eu dedicava-me inteiramente a isso. Se alguém agora me dissesse "acabaste de herdar/ganhar uma terra e gado e podes ir até lá e fazer o que quiseres que tens a vida governada, ou pelo menos remediada" eu deixava já esta barafunda citadina e nunca mais saía do campo. Como diz no "Lunário Perpétuo", "ventura buscais, no campo mora".

11:40 AM  
Blogger UnaRagazza said...

Eu não vou comentar.. já estou farta de ouvir falar destas coisas de emprego (ossos do ofício...) ;)
Apenas te digo para manteres essa motivação...

6:44 PM  
Blogger Cruzeiro said...

Eu cheguei a ouvir essa resposta quando andava à procura de emprego tia concha, "tem qualificações demais para o lugar" e olha que já faz uns anos que isso aconteceu, o mal não é de agora!

8:46 PM  
Anonymous Migas-o-Sapo (Góis Brother 1) said...

Vou manter a motivação, com certeza.

Sim, eu também já há muito tempo que oiço dizer coisas dessas. Olha, quando eu andava na Secundária, já há uns cinco anos, houve um professor de Português estagiário que nesse ano apanhou lá lugar, no ano seguinte ficou no desemprego. Tentou montes de empregos e todos o recusavam por causa desse argumento. Por fim lá conseguiu meter-se como jardineiro da Câmara Municipal, embora uma coisa por muita caridade do pesoal. O homem foi despedido alguns meses depois, ficou na completa miséria e não teve outro remédio senão regressar para a sua terra, na Serra da Estrela, e voltar a cuidar de gado, do que, ao que parece, vai vivendo. Anos e anos de despesas e neurónios torrados para nada. Porqe é que será que me parece que esta não é só uma questão social mas principalmente política?

10:47 AM  
Blogger Voice_Of_The_Opressed said...

É uma questao politica e social, e é uma verdade muito crua e dura, mas como dizia o outro, oq se há de fazer?? N vamos é transformar a zona de coments em forum, :)

10:59 AM  
Anonymous Migas-o-Sapo (Góis Brother 1) said...

E porque não? É altamente estmulante apresentar as nossas opiniões, alegrias e receios e receber respostas de outras pessoas. É como uma conversa em câmara lenta. É giro. Mas claro que este é o teu blog, tu é que sabes. :)

3:17 PM  

Post a Comment

<< Home