Thursday, June 21, 2007

O absurdo da Violencia

Nos ultimos dias, tenho prestado atençao aos factos que levaram à segunda guerra mundial, e no facto que quase todas as guerras foram motivadas pelo que de mais mesquinho e vergonhoso caracteriza o ser humano: a ganancia do lucro, sim pq a 2 grande guerra teve muitos interesses economicos por detras, e alguns criminosos mais brutais foram absolvidos dos seus crimes por terem feito descobertas a nivel cientifico ou por deterem algum poder economico relevante, e neste contexto entram as vitimas humanas que pagaram o preço que nenhuma descoberta cientifica ou nehuma quantia monetaria podem alguma vez pagar.
É bem sabido que a humanidade ao longo da historia tem resolvido os seus conflictos atraves de guerras, mas chegar ao seculo do "iluminismo" intelectual, e ver que este processo apenas se torna cada vez mais refinado e destrutivo, na minha opiniao nao agoira um futuro promissor para a humanidade, porque é que se resolvem os acontecimentos da vida com violencia e nao com o dialogo?? mesmo nos dias de hoje vemos que as naçoes mais armadas impôe o seu dominio, pq? Pq caso alguem se oponha às mesmas elas tem a força para fazer mudar de ideias, pq o dialogo é sempre mais difcil, implica fazer cedencias e a isso ninguem esta disposto, e a tudo os lideres respondem de forma autoritaria e autocratica aos desafios que as nações do mundo poem umas às outras, pq este sempre foi o processo politico internacional, mas numa era que quebra todos os preconceitos e paradigmas politicos passados, era sensato pensar e apercebermo-nos que a paz não é uma opção, é A necessidade mais elevada e mais elementar que qq povo, e ela so nasce com dialogo incondicional entre os lideres, e entre os lideres e os cidadãos que são quem constitui a sociedade, gostava de nunca ter assistido a imagens de guerra na tv, gostava de pensar que é impossivel crianças verem os seus pais a serem mortos a sua frente, e gostava de poder dizer concerteza que nunca mais irão existir guerras, a todas as vitimas sem especificar deste falgelo, a minha mais profunda admiração e respeito.
Peace.

11 Comments:

Anonymous Sara said...

Tens razão quando dizes que a ganância é o maior motivo que leva à guerra, mas também há outros a lembrar: a religião e as diferenças culturais que não se conseguem ultrapassar.
E todos os avanços da ciência são utilizados para o mal, esse é o preço a pagar por esses avanços, mas tudo seria obviamente muito diferente se fossem conduzisdos para o bem. Quando a energia nuclear foi descoberta não era suposto ter sido utilizada do modo que foi e não era essa a finalidade a dar-lhe.
E essa falta de cedência internacional e de diálogo deriva toda do egoísmo em que vivemos e da falta de escrúpulos e altruísmo dos líderes mundiais.
Seria óptimo saber que não haveriam mais guerras e que nós não veríamos mais as notícias tristes que vemos na televisão, mas isso só será possível a partir do momento em que toda a humanidade estiver disposta a ceder, a ajudar o outro e a lutar pela paz desinteressadamente.

2:19 AM  
Anonymous Firnis said...

Homem, acabaste de referir a mais pura das verdades! Os conflitos deveriam ser resolvidos através do diálogo e não da violência, mas o facto é que o ser humano é egoísta, quer sempre valorizar-se acima dos outros, e passa por tudo para o conseguir. Quer impôr a sua opinião e fá-lo pelo medo... e assim nascem as guerras. A 2ª GM trouxe coisas boas, como avanços tecnológicos e científicos ou a emancipação da mulher, e lá está o ditado "Deus escreve direito por linhas tortas". Mas eu não acredito no outro ditado, naquele que diz que "os fins justificam os meios"... então, será que não era possível que todas essas coisas boas acontecessem sem que tivesse existido tamanho sofrimento e terror? Não consigo ver filmes sobre a 2ª Guerra, ferem-me bastante...
A Paz no mundo é uma utopia, que espero um dia vir a realizar-se, e eu acredito que tal seja possível de acontecer. Senão, realmente era melhor uma bomba acabar com isto tudo! E pronto, acabava-se o sofrimento, a maldade, a ignorância, a pobreza e todas essas coisas que caracterizam o Homem, o pior inimigo de si próprio...

1:14 PM  
Anonymous Voice_Of_The_Opressed said...

Faço minhas a tuas palavras, eu sei que é uma utopia, mas tamb nem por isso deixo de acreditar nela, acredito tamb que os avanços cientificos pdoeriam ter sido alcançados atraves do processo normal de evolução, felizmente nao temos e espero que nunca mais tenhamos, um conflicto à escala mundial e temos progredido bastante a nivel tecnico, medico, so falta mesmo a nivel social, mas mesmo assim vivemos numa era em que se respeitam mais os direitos humanos doq em qq outra, pelo menos na teoria...

4:52 PM  
Anonymous Karura said...

... nem sei o que te diga. não quero "brincar" com a situação, da mesma maneira que não quero dizer algo parvo. bem, vocês já disseram tudo que havia para dizer... que posso eu dizer mais?

beijinhos*******************

2:12 PM  
Blogger Charlie, The Sinner said...

É, nós não sabemos o que são as coisas porque (felizmente) nunca passámos por elas.
E só isso faz com que seja muito difícil arranjar uma solução óptima para o que se passa (e nem vale a pena falar na paz total, porque há sempre meia dúzia de ovelhas negras desordeiras).

Dinheiros, dinheiros... Deviam ser empregues para construir, não para destruir.


Beijo.

7:24 PM  
Anonymous Firnis said...

Pois, é mesmo, muitas pessoas só querem é dinheiro, dinheiro e mais dinheiro, e para isso arranjam qualquer desculpa esfarrapada, veja-se o caso dos Estados Unidos, juntam o útil ao agradável e sacam o petróleo...
Saberemos que estamos no mundo perfeito quando o dinheiro não for mais necessário à sociedade. Uma sociedade que não use do dinheiro singifica que é composta por pessoas não egoístas, preocupadas com o bem estar comunitário, onde os seus interesses não se sobrepõem aos interesses dos outros, onde a felicidade do outro é a sua própria felicidade, onde a hierarquia social é algo repugnante, onde não existem parasitas sociais, violência, ódio, inveja, tristeza, infelicidade, ignorância... mas isso é pedir demais à humanidade.

8:24 PM  
Anonymous Voice_Of_The_Opressed said...

Infelizmente assim o é, parece que as pessoas se esqueceram dos pilares que tornaram a nossa sociedade um pouco mais harmoniosa, ou pelo menos que se fossem postos em practica teriam de certeza esse resultado, no fundo a maioria das pessoas vive como se fossem animais, e nem se apercebem disso.

11:15 PM  
Blogger Charlie, The Sinner said...

Como animais? Não. Os animais, ou pelo menos quando não têm que lutar pela sobrevivência, são dóceis. Os animais não são bichos feios com sentimentos feios. Nós somos!


E desde que existimos que assim o é. Desde que existimos que temos que ser os maiores, os mais fortes, os mais tudo. Os mais arrogantes, é lutar para ver quem acaba com tudo primeiro. A parvoíce é tanta que nem se percebe que depois do "FIM" deste livro, do nosso livro, nós próprios não vamos estar cá para ver o que sucedeu.

É triste.

9:35 PM  
Anonymous Firnis said...

Sim, os animais podem nao ser racionais como os humanos, mas também nao sao estupidos, maldosos, invejosos como os Homens, apenas lutam pela sua sobrevivência. E o ser humano, dado à sua capacidade racional, privilégio apenas a ele concedido, não deveria somente sobreviver como os animais, sem objectivos na vida (objectivos de jeito, bons, bonitos, puros) além do de simplesmente conseguir manter-se vivo e ter prazer em passar por cima de outros, desencadeando mau estar, violencia, guerras... temos capacidade não só para viver, como também para saber viver, conceito nao presente numa grande parte da populaçao.

9:19 PM  
Blogger Catarina said...

A guerra é o reflexo do que de mais mesquinho, anárquico e vil há no ser humano. É o reflexo que já não se contém entre tensões rivais, que se potencia infinitamente. E penso que não vale muito a pena condenar os "Senhores da Guerra" quando nós próprios alimentamos guerrilhas diárias uns com os outros.. As grandes guerras começaram assim!
Quantas vezes calamos achando que não devíamos ter calado, ainda que saibamos o momento não ter sido oportuno para dizer mais nada? E quantas vezes falamos demais, dizemos coisas que não sentimos ou que mais valia termos calado? E quantas vezes alimentamos discussões porque queremos impôr-nos, sermos o último a manifestarmo-nos ou apenas para ganhar mais algum orgulho na nossa capacidade argumentativa?!... Pensemos nisto, então!

2:25 AM  
Blogger Tia Concha said...

Voice tão assertivo como sempre!

Gostei!

8:02 PM  

Post a Comment

<< Home