Saturday, March 04, 2006

For madmen only

Se pararmos para reflectir um pouco no tipo de vida que levamos, decerteza que nos iriamos aperceber do quão estranha e, em ultima analise futil que essa vida é.
Isto é claro se formos capazes de nos distanciar-mos da nossa "pseudo-realidade Ocidental"; em metade do mundo o di-a-dia é marcado por coisas tais como, não morrer à fome, trazer comida para a familia e porque não, não morrer simplesmente!!
Na nossa sociedade ocidental onde não temos que nos preocupar com nada disso, ou plo menos com quase nada, vivemos no mesmo frenezim, so que direccionado para outros objectivos que se resumen a duas palavras: carreira profissional, sim pq tudo desde o momento em que entramos na 4ª classe ate acabarmos a univ é direccionado para a "futura carreira", qual crescer como cidadão, aprender a ser pessoa, onde éq isso já se viu... e assim temos os belos gestores, advogados, economistas e já agora psicologos e medicos, com tanto diploma que dava para fazer um rolo de papel higienico, mas que em nada diferem do zé da tasca que bate na mulher e veste sempre a t-shirt do benfas (epah desculpem lá mas esta tinha de pôr :P) srs doutôres de classe!!
Nahhh não pensem que me refiro só a Portugal, acontece em todo o lado desta UE e nos EUA, e estamos tão dentro deste sistema que por norma nem o questionamos, mas sejamos francos, vale a pena viver para isso?? Para em ultima analise darmo-nos ao que nos garantirá o sustento?? e que diferença temos então de um africano?? Podemos escolher, reflictam nisto: quantos chegam a lugares de topo com a consciencia tranquila hmm?? Ou já agora com o devido mérito, seja lá oq isso for, para mim isto tudo resume-se a uma palavra bullshit!! por isso é que acho que não vale a pena grandes preocupações com notas ou titulos, o barco que nos leva é o mesmo e quando chegarmos à praia, quem nao souber abrir cocos passa mal, o mesmo quer dizer um titulo hoje nao vale nada se não soubermos como utiliza-lo e isso passa por uma coisa que se chama "ser pessoa", há e ja agora, sem atropelar outros, se conseguirem isso dou-vos um rebuçado.

2 Comments:

Blogger Lucciano said...

...até que um dia o horror de não saber se existe o amanhã bate à porta do homem "ocidental"... Está interessante o que escreves. Um abraço e fica bem!

12:10 PM  
Blogger Galo Rouco said...

Bem pensado Voice, ainda que seja essencial termos um rumo.
O importante é sabermos lá chegar, com determinação, mas sem ansias!

Um abraço.

6:00 PM  

Post a Comment

<< Home