Tuesday, January 15, 2008

Problemas, todos os tem ou não...

Todos ou quase todos nos queixamos da vida em algum ou alguns momentos, uns mais do que outros, uns com razão outros sem a mesma.
Sim, escrevi "outros sem a mesma" é que se toda a gente tem problemas a verdade é alguns sao muito mais graves do que outros e assim senso creio que deviamos por os olhos naqueles problemas serios que pensamos que so acontecem aos outros e que ponhamos a mão na consciencia por um momento para reflectir; por um momento desliguem-se do vosso self egoista e hipocrita e pensem nos outros (quem nao tem por habito fazê-lo claro esta), eu sou daquelas pessoas que se emociona, sim fico revoltado quando vejo reportagens ou documentarios que retratam injustiças, pobreza doenças todo o tipo de miserias, revoltado e tocado e por isso dou graças e sinto-me menos mal por constatar que apesar de ter os meus problemas estes nada se comparam a tanta desgraça que se passa neste mundo pervertido.
E por falar nisso o que são problemas? Nesse aspecto sou bastante resumido: dinheiro e saude; dinheiro nao por luxuria ou avareza mas pq infelizmente precisamos dele pa viver, estar com dividas, falido e ter familia ou simplesmente pa comprar medicamentos...experimentem a ver se ficam com tempo pas depressoes e dilemas amorosos ou de afirmaçao pessoal, e saude pq sem ela ou se morre caso haja ausencia total ou entao e anda moribundo, e ambos provocam grande sofrimento, isto e violaçoes espancamentos morte de familiares ou amigos sao verdadeiras provaçoes, tudo o resto sao ninharias e se reflectirem por um pouco verão que assim é, e as pessoas que passam por elas como que renascem mesmo que possam nao ficar no mundo por muito tempo, mas não é preciso carregar a cruz para saber como e pesada é isso que nos diferencia dos animais, a capacidade para pensar e nos pormos no lugar do outro.

2 Comments:

Blogger Charlie, The Sinner said...

Acontece que, quer queiras quer não, estarás sempre centrado no teu dia-a-dia, pondo os outros de parte. Os problemas dos outros podem ser graves, sim, mais graves que os nossos, mas de que serve sentirmo-nos aliviados com isso se não ficamos completamente bem? Eu, sinceramente, acho que não consigo ajudar os outros se não estiver bem. Porque irei transparecer até a mais fútil das futilidades, na minha cara, e isso transmite um mau karma...
Sinto-me feliz por não ter problemas "realmente" graves e também me revolto com os problemas dos outros.
E muito agradeço por ter bons amigos que não me deixaram na lama nestes últimos tempos, agradeço cada sorriso e cada palavra e sabem que podem contar comigo. Quanto ao resto...
Nevermind.

Beijo*

10:26 PM  
Blogger Charlie, The Sinner said...

Sim, é tosco celebrar o ano novo e os aniversários como os celebramos, no geral, para ser sincera passei o ano em casa e nem sequer me deitei tarde. Por outro lado, opá, já que o calendário é novo, já que não está amarrotado, 12 meses novinhos em folha... Até dá pena não atribuir significado nenhum, que sirva ao menos para ter motivação! É quase o mesmo que o começo das aulas, os cadernos novos, e isso... Se calhar o exemplo não foi o melhor, bah, entre o começo das aulas e o novo ano... Enfim...

O começo do ano é o virar de uma página! Ou deveria ser.

Beijo*

8:06 PM  

Post a Comment

<< Home