Friday, October 03, 2008

Religiosamente falando

Li e vi, recentemente no blog do daniel de oliveira: http://arrastao.org/ um post da sua autoria sobre uma entrevista no daily show, cujo tema era a religiosidade das pessoas, neste caso dos americanos.
Ja todos sabemos que a america é um pais de extremos e na religião isso tambem acontece; mas existir um tão grande numero de pessoas, no pais mais poderoso do mundo que acredita na arca de noé ou na biblia literalmente é caso para preocupação, como o é o facto de a senhora pallin poder vir a ocupar o lugar de vice presidente, e defender que se ensine o criacionismo nas escolas...
Não me interpretem mal, eu nao sou anti religião, nem sou especialmente a seu favor, sou agnostico e acredito e defendo o humanismo, que se inspirou nalguns pressupostos morais das religiões, mas se temos cabeça, pla graça de deus ou da evolução, para agradar a gregos e troianos, ela serve um proposito: para reflectir; a religião e a ciencia nao sao inconciliaveis, de facto muitos pressupostos religiosos na minha optica sao correctos, tentar amar o proximo, dar a outra face,s e conseguissemos fazer isso acho que seriamos todos mais divinos e penso que era isso que estava implicito nos ensinamentos, nada dos dogmas que...surgem sempre com o poder.
Apartir do momento em que algo se torna institucionalizado passa a ter que ser defendido e nesse processo geram-se os dogmas que são as armas de arramesso, com os dogmas defende-se aquilo que em parte ja se assassinou devido ao fanatismo, e a anos de desprezo (senao me engano na inquisição havia tudo menos practicas cristas)
Gostava q se conseguisse realizar um verdadeiro dialogo e troca de experiencias entre religiões, e que se parasse de tentar obter lugares divinos a conta de regras estupidas ditadas por homens igualmente estupidos e se olhasse para o que temos nesta terra, enquanto o temos, se conseguirmos olhar para alem das correntes que nso foram impostas, logo apos cristo ter sido cruxificado.

4 Comments:

Anonymous Anonymous said...

O Homem é mau por natureza. E a maldade não vem (apenas) dos antagonismos religiosos. Em questões de superioridade quer económica, religiosa, racial ou outra, não se medem as consequências, é um dito "salve-se quem puder", e salvo certas exepções dos utopistas da humanidade, os restantes pouco têm de se aproveitar. Portanto, pode-se sempre tentar as conversas com as minorias, mas a estupidez da humanidade vai continuar, porque só aprende quem quer ser ensinado. Um Abraço, Inês.

1:48 PM  
Anonymous Voice_Of_The_Opressed said...

Boas ines, obrigado plo coment, sim concordo contigo mas se o homem e mau por natureza existem coisas que o "suavizam" entre elas os valores sejam religiosos ou humanistas ou outros, viver sem objectivos na vida é um estimulo para despertar essa "maldade" e é talvez pelo facto de quase toda a gente se estar a cagar para o que acontece no mundo que ele esta na merda que essa.

3:36 PM  
Anonymous Anonymous said...

Sim, certamente. Sou da opinião que devemos lutar pelos nossos
objectivos, mas também que devemos seguir esses objectivos
tendo consciência onde acaba a nossa liberdade e onde começa a
do outro. E neste momento não acho que exista essa consciência.
E isso é um dos muitos começos para possíveis revoltas, maus tratos, racismos, etc etc. Quase como se, regressando um pouco ao lado animal, ainda tivessemos dificuldade em viver uns com os outros.
Mas sim, as mentalidades mudam-se, apenas que, muito lentamente.

5:14 PM  
Blogger DRACULEA Café Bar - The Devil's Den said...

O diálogo inter-religioso é uma quimera... sempre o foi e sempre o será.

4:15 PM  

Post a Comment

<< Home